Espaços urbanos

Espaços urbanos
Para não esquecer o 1.º de maio e sua alusão ao trabalho - foto Robispierre Giuliani

sábado, 26 de outubro de 2013

Clube Parlamentarista General Portinho

Havia na Cachoeira de antanho uma agremiação fundada por simpatizantes do parlamentarismo chamado Clube Parlamentarista General Portinho.

General José Gomes Portinho 

No dia 30 de outubro de 1905, por ocasião do primeiro aniversário do clube, houve uma sessão solene presidida pelo Capitão João Jorge Krieger. Após a solenidade de praxe, que incluiu a leitura da ata da sessão anterior pelo secretário Miguel Araújo, a palavra foi concedida ao Dr. Pedro Gonçalves Moacyr, que havia sido convidado para a celebração pelo Partido Federalista de Cachoeira. Seu discurso ressaltou a ressurreição do federalismo em todas as localidades do Estado. Findo o discurso, o Dr. Pedro Moacyr foi levado a uma pequena sala do clube, onde foi recepcionado com doces e champanhe.
Às 22h30 daquela noite comemorativa, teve começo o baile que se estendeu até as 3 horas da madrugada.
O jornal O Commercio, em sua edição do dia 1º de novembro de 1905 fala em “esplêndido baile em espaçoso edifício”, porém não cita o endereço.
Como se vê, os parlamentaristas, associados aos federalistas, movimentavam-se com desenvoltura na sociedade de então, quando a República dava seus primeiros passos. 


domingo, 13 de outubro de 2013

Charqueada do Paredão ao tempo do Dr. Balthazar de Bem

A Charqueada do Paredão, que passou pela mão dos ingleses com o nome de Brazilian Extract of Meat and Hyde Factory Ltd., em 1920 passou para o Dr. Balthazar de Bem, na forma de sociedade comanditária, da qual ele era diretor.
A publicação O Rio Grande do Sul, de Alfredo R. da Costa, lançada em 1922, no capítulo correspondente ao Município de Cachoeira, traz interessantes informações sobre a Charqueada do Paredão:

- acervo do Museu Municipal



O maior e mais importante estabelecimento industrial é o do “Paredão”, instalado há 40 anos por uma companhia inglesa e atualmente a uma sociedade em comandita por ações, com o capital de 500:000$000 (quinhentos contos de réis). Essa empresa, que gira sob a razão social de Balthazar de Bem & Cia., organizou-se em Cachoeira, adquirindo o antigo estabelecimento em 1920. Em 1921 e 1922, foram ali abatidas 19.424 reses para o preparo de charques e conservas de carne. O Estabelecimento Paredão está passando por importantes reformas para nele também ser preparado o “Alimento Fabini” (grânulos de carne integral hidrocarbonada), produto novo para o Brasil, e cuja exportação vai ser feita para a Europa e Estados Unidos. É presidente da sociedade e diretor do estabelecimento o Dr. Balthazar de Bem, conceituado médico e fazendeiro cachoeirense. 

Envelope timbrado do Alimento Fabini - Charqueada do Paredão
- acervo do Museu Municipal

domingo, 6 de outubro de 2013

Série Cachoeira em Jornal

O Museu Municipal lançou, no ano de 1982, um folheto intitulado Cachoeira em Jornal – A história da imprensa cachoeirense, trabalho que foi coordenado pela professora Maria Eunice Moreira, hoje Diretora de Pós-Graduação na Pró-Reitoria Acadêmica da PUCRS e, na época, a responsável pelo setor de pesquisa do Museu dirigido por Lya Wilhelm.

No editorial do folheto, Maria Eunice Moreira diz que o objetivo do trabalho é “reconstituir significativo aspecto de nossa história”. E este objetivo foi plenamente atingido, sendo o folheto até hoje referência.

A imprensa rio-grandense surgiu em 1827 com o Diário de Porto Alegre e, em Cachoeira, com o Independente, de 1864. Deste jornal, que era de caráter noticioso, quase não há informações tampouco exemplares.

A série Cachoeira em Jornal traz à luz o Clarim, jornal de caráter noticioso, fundado em 1886 por Baptista Xavier, também o redator, e extinto em 1890. Circulava duas vezes por semana, nas quintas e domingos. Em 1889, Baptista Xavier admitiu como sócio Afonso Porto da Fontoura, passando a ter o Clarim dois redatores.
Um documento encontrado no acervo do Arquivo Histórico mostra que esse jornal realizou serviços de impressão para a Câmara Municipal em 1889.

Documento do Arquivo Histórico

Há no acervo do Museu Municipal um exemplar do Clarim que ilustra, juntamente com outros jornais, a capa da publicação Cachoeira em Jornal.

Cachoeira em Jornal (1982)
- Museu Municipal -

João Baptista de Aquino da Fontoura Xavier, o proprietário-redator, filho do Major Gaspar Xavier da Silva e de Clarinda Amália da Fontoura, era neto de Antônio Vicente da Fontoura e de Clarinda Porto da Fontoura e irmão do poeta Antônio Vicente da Fontoura Xavier. Nasceu em Cachoeira no dia 13 de novembro de 1864, casualmente no ano que marca a fundação do primeiro jornal cachoeirense.

Baptista Xavier (1905)

Advogado, Baptista Xavier integra a relação dos fundadores do Clube Republicano local. Foi promotor público em Cachoeira (1889-1892) e exerceu o jornalismo também como redator do jornal O Estado do Espírito Santo (1890-1911) e como secretário do Jornal do Comércio, do Rio de Janeiro. Em 1898 fundou, em Porto Alegre, o Petit Journal.
Baptista Xavier faleceu no Rio de Janeiro em 12 de maio de 1919, no desempenho das funções de tesoureiro da Escola de Belas Artes. Seu nome denomina ruas em Cachoeira e em Porto Alegre.